Inhapi Informes - Portal de notícias de Inhapi, Sertão de Alagoas

MENU
Logo
Terça, 28 de setembro de 2021

Política

Superintendente do gabinete do vice-governador de AL é ouvido por deputados após denúncia de irregularidades

Denúncia foi feita em junho pelo deputado Davi Maia que apontou nomeações irregulares no órgão que estava sem funcionar

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O superintendente de Planejamento, Orçamento, Finanças e Contabilidade do Gabinete do vice-governador, José Carlos Gomes, foi ouvido nesta quarta-feira (8) pelos deputados Davi Maia (DEM), Ângela Garrote (DEM) e Silvio Camelo (PV). Gomes foi convocado para esclarecer dúvidas a respeito da vice-governadoria do estado, alvo de denúncia feita por Davi Maia que apontou nomeações irregulares.

Em junho, o deputado alegou que nomeações de servidores comissionados haviam sido assinadas pelo governador Renan Filho (MDB) mesmo após o então vice-governador, Luciano Barbosa (MDB), ter deixado o cargo para assumir a prefeitura de Arapiraca e o gabinete ter sido desocupado.

Na época, o Ministério Público informou que recebeu a denúncia e informou que o conteúdo seria analisado para definir se iria abrir investigação sobre o suposto gabinete fantasma. O G1 entrou em contato para saber o andamento do processo e aguarda resposta.

Questionado sobre as atividades desenvolvidas atualmente pelo órgão, José Carlos Gomes disse que a vice-governadoria faz parte da estrutura da Governadoria e é pautada por três linhas de atuação previstas na lei delegada: gestão estratégica, gestão de Estado e gestão finalística. Ele esclareceu ainda que, mesmo sem vice-governador, todas as funções administrativas da estrutura continuam ativas e os servidores foram redistribuídos para outros órgãos do Estado.

“Fui contratado para regularizar a parte que ficou pendente no ano passado, referente à vice-governadoria. As despesas do ano passado ocorreram e o Estado teria que honrar tanto com os fornecedores quanto com os credores”, afirmou o superintendente.

O Gabinete Civil reforçou que o prédio foi entregue por uma questão de economia e redução de despesas.

Segundo Davi Maia, desde o começo de 2021 já foram gastos R$ 447 mil e mais R$ 700 mil estão empenhados. Para ele, a vice-governadoria não tem função e nem necessidade de existir.

“Vamos agora pegar a ata e o vídeo deste depoimento e encaminhar ao Ministério Público Estadual e de Contas para as devidas providências”, concluiu o deputado.

Fonte/Créditos: G1 AL

Créditos (Imagem de capa): Igor Pereira/ ALE

Comentários: