Inhapi Informes - Portal de notícias de Inhapi, Sertão de Alagoas

MENU
Logo
Domingo, 17 de outubro de 2021

Acidentes

No último dia do atual decreto, Alagoas tem queda na taxa de mortes por Covid; média móvel está em -17%

Taxa de ocupação dos leitos está controlada no estado, mas contaminação pela variante delta ainda preocupa. Novo decreto deve ser publicado nesta quin

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Alagoas chega ao último dia do atual decreto da fase amarela com redução na taxa de mortes pela Covid-19 (média móvel é de -17%), mas com a preocupação do contágio pela variante delta. Um novo decreto deve ser publicado nesta quinta-feira (16).

O estado está na fase amarela desde o dia 9 de julho e, desde então, vem prorrogando novos decretos sem alterações. Segundo levantamento do G1, Alagoas registrou redução de 17% no número de novas mortes por Covid-19 e de 25% no número de novos casos em uma semana. Os óbitos pelo coronavírus no estado estão em queda há 11 semanas consecutivas.

 

Na última semana (de 5 a 11 de setembro), o estado teve 35 mortes e 696 casos de Covid. Durante toda a última semana, foram registrados cinco mortes por dia por Covid. Esse é o menor número diário de óbitos por Covid em 2021.

Variante delta

A preocupação coma variante delta, porém, existe e preocupa as autoridades sanitárias. Os primeiros casos no estado foram registrado no mês de agosto em Maceió e Palmeira dos Índios.

Um estudo publicado pela revista "The Lancet", e que avaliou o sequenciamento genético das amostras de 43 mil britânicos infectados pela Covid-19, apontou que pacientes infectados com a variante delta têm o dobro de chance de serem hospitalizados em comparação com aqueles que foram infectados pela alfa.

Além disso, a pesquisa também apontou que há um risco 1,5 maior de atendimento de emergência para pessoas infectadas com a variante delta. A variante tem mais chance de causar a sobrecarga dos sistemas de saúde, principalmente quando atinge pessoas não vacinadas e grupos vulneráveis.

Fonte/Créditos: G1 AL

Créditos (Imagem de capa): Mister Shadow/Estadão

Comentários: