PRF tenta desarticular brestante de quadrilha que planejava roubar a Chesf
















Três ônibus interestaduais foram assaltados por criminosos entre a noite de desta segunda-feira, 04, e a madrugada desta terça-feira, 05, em diferentes pontos das estradas alagoanas.

A Polícia Rodoviária Federal de Alagoas (PRF/AL) acredita se tratar de uma única quadrilha. “Aumentamos intensivamente a fiscalização daquela região. Nós conseguimos prender alguns integrantes da quadrilha para tentar desarticulá-los e pretendemos, de pouco em pouco, pegar todos eles”, disse a assessoria à reportagem do CadaMinuto.

A PRF ainda informou ao CadaMinuto sobre algumas prisões que ocorreram na BR-101, onde a incidência de assaltos a ônibus interestaduais aumentou significativamente.

“No início do mês passado, prendemos, ao total, sete homens que estavam praticando assaltos na BR-101, onde quatro deles planejavam também roubar a Chesf” concluiu a assessora.

Terror na estrada

O coletivo da empresa Rota, de prefixo 7525, foi alvo de pelo menos quatro criminosos na rodovia BR-101, entre os municípios de São Miguel dos Campos e Campo Alegre, no Distrito de Luziápolis.

Os homens, armados com pistolas e espingardas, invadiram o ônibus e obrigaram os passageiros a entregar seus objetos pessoais. Foram levados smartphones, dinheiro, cartões de créditos e entre outros.

Já no km 194 da mesma rodovia, um ônibus da empresa Itapemerim, que fazia o trajeto de Recife (PE) com destino a Salvador (BA), foi mais um assaltado pelos criminosos. Armados, eles entraram no coletivos e fizeram um arrastão, levando vários objetos de valor das vítimas.

Por fim, outro coletivo, este da empresa Real Alagoas, também foi vítima da quadrilha. Vários pertences foram levados. Os passageiros registraram um Boletim de Ocorrência na Central de Flagrantes da Polícia Civil, no bairro Farol, em Maceió.



Fonte:Minuto Sertão 
Share on Google Plus

About Canal Na Hora

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Inhapi Informes ou de seus colaboradores.