Ex-prefeito de Maravilha morre aos 60 anos com suspeita de H1N1 em Maceió

Paciente era médico anestesiologista. Outros três casos estão sendo monitorados






O médico Osman Catarina, 60 anos, morreu na tarde desta quarta-feira (6), com suspeita de ter contraído a gripe H1N1. Ele estava internado desde a última sexta-feira (1) no hospital Santa Casa de Maceió.

Osman, que era anestesiologista muito conceituado no Estado, estava na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) com uma síndrome aguda respiratória. A causa da morte só poderá ser esclarecida após resultados de exames realizados pela Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro. Não há um prazo para que o resultado seja divulgado.

Seu sepultamento está marcado para esta quinta-feira (7) no cemitério municipal de Jaraguá.

Outros três casos

Além do médico, outros três casos de H1N1, ou influenza A, estão sob investigação em Maceió. Segundo divulgou a Secretaria Municipal de Saúde, o monitoramento está sendo realizado por meio do Centro de Informações Estratégias e Resposta em Vigilância em Saúde (Cievs), setor que é ligado à Diretoria de Vigilância em Saúde da SMS.

Na capital, os mini pronto socorros Assis Chateaubriand e João Fireman e os Hospitais Hélvio Auto e o Hospital Geral do Estado (HGE), realizam esse monitoramento e coleta de material para análise. Os casos notificados ainda estão em processo de investigação, aguardando resultado laboratorial.

Segundo a coordenadora do Programa Nacional de Imunização (PNI) da SMS, Eunice Raquel Amorim, a campanha anual de vacinação está prevista para o dia 30 de abril, podendo ser antecipada, dependendo do repasse das doses da vacina, feito pelo Ministério da Saúde (MS) e Secretaria Estadual de Saúde (Sesau).

A SMS informa ainda que o Tamiflu, antigripal utilizado no tratamento da influeza A (H1N1), mostra-se bastante eficaz em indivíduos hospitalizados e em estado grave, diminuindo o tempo de internação e de permanência na UTI. No município, o medicamento é fornecido de forma individualizada e não ficando disponível nas farmácias das unidades básicas de saúde.

A vacina

A vacina protege contra três subtipos do vírus da gripe (A/H1N1; A/H3N2 e influenza B). Com a vacinação, é possível impedir que o vírus da gripe evolua para formas mais graves como pneumonia, por exemplo, entre outras complicações.

O Ministério da Saúde informa ainda que estudos apontam que a vacinação pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da influenza.



Fonte:Minuto Sertão
 
Share on Google Plus

About Canal Na Hora

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Inhapi Informes ou de seus colaboradores.