Infectologista esclarece diferenças entre Zika e alergias






Sintomas similares podem confundir pacientes, que devem buscar atendimento em unidades de saúde





Alagoas e o restante do país passam por um momento de luta contra o mosquito Aedes aegypti, responsável pela transmissão da Zika, Dengue e Chikungunya. E, para esclarecer a população, a Secretaria de Estado de Saúde (Sesau) detalha as diferenças entre a infecção por Zika e reações alérgicas, que muitas vezes são confundidas.

De acordo com a infectologista Luciana Pacheco, os sintomas são similares e podem ser confundidos pelos pacientes. “A principal recomendação é que, em casos de suspeita, procurar a orientação de um profissional médico”, destacou. Ela acrescenta que o diagnóstico é feito com base nos sintomas e histórico clínico de cada paciente. “Após a identificação do problema ele é orientado e medicado de acordo com a necessidade”, ressaltou a médica.

A infectologista lembrou ainda que como os sintomas são similares existe uma procura muito intensa por parte dos pacientes a serviços de assistência especializados a exemplo do Hospital Escola Hélvio Auto.

“As manchas vermelhas na pele quase sempre estão presentes nos duas situações, porém no caso da Zika essas manchas somem do corpo do paciente em torno de três dias, diferentemente de alergias na pele que se não tratadas permanecem por períodos maiores”, esclareceu.

Outros sintomas, no caso de infecção por vírus da Zika, mais comuns são febre baixa e dores na articulação. A infectologista reforçou que em casos de suspeita o paciente deve procurar a unidade de saúde mais próxima, como unidades do Programa de Saúde da Família e ambulatórios.

“Unidades de referência, como o Hospital Hélvio Auto, devem ser acionadas em casos mais graves e apenas através de encaminhamento das unidades que atendem na atenção primária”, ensinou.


Fonte: Tribuna Hoje



Share on Google Plus

About jose aldo araujo

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Inhapi Informes ou de seus colaboradores.