Celso Luiz classifica gestão da prefeitura de Mata Grande como “assalto aos cofres públicos”



[caption id="attachment_5377" align="alignleft" width="300"]Assessoria Assessoria[/caption]

Durante entrevista concedida ao programa Tribuna Popular, exibido na última quinta-feira (17), na Rádio Correio FM, em Delmiro Gouveia, o prefeito de Canapi, Celso Luiz (PMDB), classificou a gestão da prefeitura de Mata Grande como “um assalto aos cofres públicos” e falou sobre a intenção de colocar o filho na disputa pela chefia do Executivo nas eleições do ano que vem.

Para o gestor, que já foi o político mais poderoso de Alagoas, o primeiro mandato do primo Jacob Brandão (PP) foi péssimo e o atual está sendo ainda pior. “Desafio o prefeito Jacob para mostrar quatro ou cinco obras que fez em Mata Grande, nesses sete anos de mandato. Se for considerar obras importantes, com certeza ele não tem nem três”, provocou.

O prefeito canapiense continuou criticando o primo como chefe do Poder Executivo matagrandense, mas desta vez o acusando de corrupção. “Em Mata Grande não se tem uma obra, não se faz uma estrada, não se tem nada funcionando. A cidade está abandonada. Não existe uma administração. O que existe na verdade é um assalto aos cofres públicos.” criticou.

O gestor peemedebista fez uma comparação da administração dele com a de Jacob. “Para se ter uma ideia, no povoado Forquilha, que é um dos menores de Canapi, fizemos um colégio, uma creche, um posto de saúde e estamos terminando de construir um ginásio de esportes. Enquanto isso, no povoado Santa Cruz do Deserto, que tem porte quase de cidade, a gestão não fez nada. O lugar está acabado.” Comparou.

Sobre as eleições de 2016, o ex-deputado disse que Mata Grande está sem administração e que o povo quer mudança. “Meu filho Luiz Pedro, meu primo Jean Gomes e o ex-vereador Gerson Klayton são os nomes de oposição que pretendem entrar na disputa pela prefeitura. Todos são bons nomes e nossa intenção é unir as oposições para assegurar a mudança que a população quer”, adiantou.

Sobre a hipótese do atual vice-prefeito, Erivaldo Mandu (PP), ser candidato da situação, Celso Luiz criticou. “O Mandu é a continuação. O grupo de Jacob quer colocá-lo para continuar mandando na prefeitura, assaltando a cidade do mesmo jeito. Ele quer uma pessoa que apenas assine, um prefeito laranja”, alfinetou.

Celso também falou sobre o segundo rompimento político com o ex-prefeito Fernando Lou. “Ele não apenas traiu a mim. Traiu os amigos, o grupo político e o povo. Mas, parte da família dele continuou conosco. Acho que foi o Fernando quem perdeu, porque fez uma negociação feia para apoiar um projeto que não tem futuro nenhum” disse.

O outro lado

O prefeito Jacob Brandão repudiou a atitude de Celso Luiz, afirmando que ele criou fatos fictícios para tentar jogar a população contra sua administração. O gestor disse que “a estratégia não funciona mais, porque as pessoas não acreditam mais em mentiras. Fato verídico é o que ocorre no município que ele administra”.

Brandão alfinetou o rival político lembrando da abertura de procedimento preparatório de investigação do Ministério Público Estadual (MPE/AL) para apurar o possível desvio do Valor Mínimo Anual por aluno destinado para a educação fundamental, em Canapi.

Relembrou também da ação do Tribunal Regional do Trabalho de Alagoas que determinou o bloqueio de R$ 1.445.000,00 dos cofres públicos da prefeitura administrada por Celso Luiz. O motivo da retenção foi a execução de uma dívida requerida pelo Ministério Público do Trabalho, na qual o município estaria como devedor há anos, em vários processos.

Share on Google Plus

About Inhapi Informes

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Inhapi Informes ou de seus colaboradores.