Polícia é acionada para conter confusão dentro de agência bancária em Mata Grande

[caption id="attachment_4531" align="alignleft" width="300"]Foto:  Minuto Sertão/Cortesia/Blog Central do Sertão Foto: Minuto Sertão/Cortesia/Blog Central do Sertão[/caption]

A demora no atendimento ao público na Agência do Banco do Brasil, localizada na Rua Ubaldo Malta, no centro da cidade de Mata Grande, resultou em uma grande confusão que virou caso de polícia, na manhã desta terça-feira (6), por volta das 11h. A presença de apenas um funcionário nos caixas do banco foi o principal motivo do protesto de vários clientes.

Tudo teria começado quando o jovem Jefferson Raul Silva Cândido, 20, decidiu reclamar com um funcionário da agência a respeito da demora para ser atendido na unidade bancária. O rapaz tinha nas mãos uma senha com o horário de sua chegada, que foi às 9h48 e até aquele momento, às 11h, ainda não tinha sido atendido, assim como várias pessoas que estavam na espera há mais tempo que ele.

O funcionário havia explicado que uma companheira de trabalho dele havia adoecido e faltado ao serviço, por isso estava sozinho para atender a todos os clientes e naquele momento tinha que respeitar a ordem de atendimentos preferenciais.

A agência estava cheia de clientes e todos decidiram apoiar a causa do jovem que protestava e com isso uma guarnição da Polícia Militar foi acionada para controlar os ânimos. O gerente da unidade ainda tentou explicar que na ocasião tinha apenas um funcionário para atender à demanda, mas não teve jeito, a multidão estava revoltada.

Diante do problema, ficou acordado que o rapaz que iniciou o protesto seria atendido, mas o que ninguém esperava era que o único funcionário disponível fosse se negar a realizar o atendimento e se retirar do setor de trabalho, alegando que tinha sido agredido verbalmente e não iria atender ao seu agressor.

A confusão só aumentava, quando um funcionário que estava de folga decidiu ir até a agência para ajudar no atendimento. Foi quando Jefferson teve sua solicitação atendida e o protesto teve fim.

De acordo com o Cabo Bernardo, da 3ª Companhia Militar, antes de ser atendido, o rapaz pediu desculpa aos funcionários do banco e aos policiais pelo transtorno e como o funcionário que se disse agredido verbalmente pelo cliente não quis registrar queixa, o jovem foi liberado.

Verificamos que no município não há uma Lei que estipule o tempo de espera na fila de atendimento das agências bancárias, como na cidade de Maceió, onde a Lei nº 5516/2006 garante que o tempo máximo de espera nas filas dos bancos seja de 20 minutos, tempo que pode ser estendido para até 30 minutos em dias de maior movimento, como quando estão sendo pagas as aposentadorias e os salários dos servidores públicos.

Nossa reportagem tentou falar com o gerente da agência, mas o mesmo não quis se pronunciar sobre a confusão.
Share on Google Plus

About Inhapi Informes

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Inhapi Informes ou de seus colaboradores.