Motoristas reclamam buraqueira e paralisação das obras de recuperação de trecho da BR-423

Um “tabuleiro de pirulito” é o que lembra a buraqueira no trecho da rodovia federal BR-423 que vai do Sítio Mandacaru em Água Branca até o Povoado Maria Bode, município de Delmiro Gouveia. Motoristas reclamam danos nos veículos e perigo de assalto.

O referido percurso passava por uma recuperação realizada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), mas parou desde junho. Devido a paralisação a situação da rodovia que já estava ruim só piorou com o surgimento de grandes crateras no asfalto.

O trecho de pelos menos 20 km exige atenção redobrada ao volante devido ao verdadeiro ziguezague dos carros que fogem dos buracos na pista. Esta situação pode beneficiar a prática de assaltos na localidade.

Segundo uma fonte nossa, os carreteiros e caminhoneiros estão mudando os horários de suas rotas devido o perigo. A decisão seria um alerta das empresas responsáveis pelas cargas.

Crianças na pista

Outro problema são as crianças às margens da rodovia que aproveitam a buraqueira para ganhar um trocado tapando buracos com barro. Muitas vezes estas crianças que moram próximo do local são orientadas pelos próprios pais.

O trabalho, considerado "esperto", às vezes é recompensado com alguma moidinha de  motoristas, mas em outros casos os próprios esquecem a buraqueira e aumentam a velocidade do veículo temendo algum assalto.

Reclamação

De acordo com motoristas a estrada de rodagem deveria se recuperada com asfalto que suporte o fluxo de caminhões e carretas que, segundo usuários, é responsável pelo estrago constante da pista.

Para eles não é justo que paguem impostos altos e não disponham de estradas em perfeitas condições.

DNIT

Segundo a assessoria do DNIT, o órgão tem contrato para obras de restauração em 105 quilômetros da BR-423 no estado. No segmento do km 0 ao km 39 os serviços já foram concluídos. Do km 39 ao km 61 eles foram parcialmente executados em virtude do período chuvoso. No segmento seguinte, entre o km 61 ao km 105, que compreende o trecho citado, o Departamento intensificou os serviços de conservação (tapa buracos) para garantir a trafegabilidade.

Ainda de acordo com o DNIT a retomada dos serviços de restauração deve ocorrer ainda neste mês de agosto, quando o período chuvoso se encerra.
Share on Google Plus

About Inhapi Informes

    Blogger Comment
    Facebook Comment

1 comentários:

  1. Olá...

    sou engenheiro e pelo que sei a boa engenharia não permite a execução de serviços com asfalto na chuva. por isso q a obra deve ter parado.
    se o serviço ficasse ruim vocês reclamariam do mesmo jeito...

    ResponderExcluir

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Inhapi Informes ou de seus colaboradores.